home /

COLUNAS

Prefácio Póstumo

Por: Marcos Rocha - 19/03/2014
artigo

Meu prezado senhor, direi apenas algumas palavras. A vida fez de mim um homem bem familiarizado com as decepções.
Aos 23 anos, tentei um cargo na política e perdi. Aos 24, abri uma loja que não deu certo. Aos 32, tentei um negócio de advocacia com amigos, mas logo rompemos a sociedade. Ainda naquele ano, tive um grave colapso nervoso e passei um bom tempo no hospital.  Com  45 anos,  disputei uma cadeira no Senado e não ganhei. Aos 47, concorri à nomeação pelo Partido Republicano para a Eleição Geral e fui derrotado. Aos 49, tentei o Senado e fracassei novamente.  Mas, aos 51 anos, finalmente, fui eleito presidente dos Estados Unidos da América.
Por isso, não venha me falar de dificuldades, tropeços, fracassos. Não me interessa saber se você falhou. O que me interessa é se você soube aceitar o tropeço.
Todos os infortúnios  que vivi me tornaram um homem mais forte, me ensinaram lições importantes. Aprendi a tolerar os medíocres, afinal, Deus  deve amá-los, porque fez vários deles. Aprendi que os princípios mais importantes podem e devem ser inflexíveis.  Aprendi que, quando se descobre que uma opinião está errada, é preciso descartá-la. Aprendi que a melhor parte da vida de uma pessoa está nas suas amizades.  Aprendi que nunca se deve mudar de cavalo  no meio do rio.
Se  você está vivendo um momento temporário de fracasso, posso afirmar, com a certeza da minha maturidade,  ou dolorida experiência,  que você jamais falhará se estiver determinado a não fazê-lo.
Por mais que você encontre dificuldades pelo caminho,  não desista.  Pois saiba que o campo da derrota não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer.
Sinceramente,   

ABRAHAM LINCOLN

Prezados leitores sejam bem-vindos a Associação Sul- Americana de Bugei. Iniciamos este primeiro contato não com um artigo original deste colunista, mas, sim,  com o prefácio póstumo do 16* presidente norte-americano Abraham Lincoln. Escolhi-o para incentivá-los diante das dificuldades, adversidades, fracassos e infortúnios pessoais ou familiares que todos estão susceptíveis durante a sua passagem pela
Vida terrena.  Convido-os, caros leitores, a embarcar neste navio sem destino pré-determinado e compartilharmos bons momentos juntos...

Marcos Rocha

VOLTAR PARA COLUNISTAS